5 características de Universidades Internacionais

0
110

O cenário atual de um mundo globalizado praticamente obriga o profissional a se tornar também uma pessoa globalizada. Uma das maneiras de avançar nesse sentido e sair pronto para os desafios do mercado de trabalho é estudar em uma Universidade Internacional.

Um aluno que faz sua graduação fora do país encontra muitas vantagens. De acordo com o ranking de 2018 do
The Higher Education, 57 das 100 universidades mais prestigiadas do mundo encontram-se distribuídas nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido.

Além da possibilidade de cursar um ensino de
alta qualidade, o aluno ganha características multidisciplinares e tem a oportunidade de conviver com diversas culturas diferentes. Em contato com pessoas de todo o mundo, há ainda a chance de fazer networking e ampliar seus contatos pelo planeta. Atualmente, as empresas valorizam profissionais que estudam em universidades internacionais e algumas até apresentam programas exclusivos para esses alunos.

São inegáveis as vantagens de uma graduação internacional, pensando tanto no
crescimento profissional, quanto pessoal. Confira cinco coisas que você precisa saber, se pretende estudar em uma universidade internacional:

1. Certificação IB

O programa para certificação IB é oferecido por algumas escolas e vem ganhando cada vez mais relevância no mundo. O Bacharelado Internacional é um método de formação que coloca o aluno em contato com uma segunda cultura e tem como referência valores humanísticos e responsabilidade universal.

“É por isso que as taxas de aceitação das principais universidades dos Estados Unidos são maiores para alunos IB quando comparados ao restante da população. Isso acontece porque as instituições sabem que são estudantes de alta performance”, destaca Pedro Silva, diretor de um Colégio Internacional.

A certificação IB tem parceria com instituições de ensino por todo o mundo e facilita a aceitação do aluno em uma universidade internacional. Com a imersão em uma cultura diferente, o estudante ainda apresenta facilidade de adaptação à realidade de outros países.

2. Imersão na cultura

Mudar de país é estar inserido em um contexto social completamente diferente daquele que a pessoa está acostumada. Um novo ambiente requer adaptação, principalmente se a mudança for por motivos acadêmicos. O desempenho nas atividades curriculares pode ser afetado pela adaptação ou não ao novo país.

Para diminuir esse impacto, uma imersão na cultura do país desejado pode ajudar. Estudar em um Colégio Internacional ou passar por uma formação bilíngue são alternativas. Esses formatos de ensino colocam o aluno em contato com outra cultura durante todo seu processo de aprendizado e o preparam para o estudo em universidades estrangeiras.

3. Domínio da língua

Pode parecer óbvio, e é. Sem o domínio de um segundo idioma, é impossível estudar fora do país. No Brasil, segundo o Conselho Britânico, apenas 5% da população conhece o básico do inglês, enquanto 1% é fluente no idioma.

Quem pretende cursar uma universidade internacional precisa fazer parte dessa pequena parcela que domina o inglês ou o idioma do país em que a instituição desejada se encontra.

4. Como ser aceito

Existem alguns processos pelos quais o aluno que pretende cursar uma universidade internacional precisa passar. Um teste para demonstrar sua fluência em inglês é um deles. Além disso, alguns países como Estados Unidos exigem avaliações para comprovar o conhecimento em disciplinas do ensino médio e fundamental.

É possível ingressar em uma universidade internacional por meio do Enem. Em Portugal muitas instituições aceitam a nota do exame para alunos brasileiros. No Reino Unido também é considerado esse desempenho, pontuando assim como outras exigências, como histórico escolar e atividades extracurriculares.

Algumas escolas oferecem um programa de internacionalização, facilitando o acesso a intercâmbios e a universidades estrangeiras. Esse caminho prepara o aluno tanto para os estudos quanto para a vida fora do país.

5.  Cartas de referência

Em alguns países, como os Estados Unidos, são solicitadas cartas de recomendação para a aceitação do aluno. É possível preparar com antecedência essas referências, pedindo a professores do ensino médio ou chefes.

As recomendações servem não apenas para comprovar habilidades, como também sua personalidade. As cartas devem conter relatos sobre sua vivência e experiência, além de suas capacidades como estudante ou profissional. Informações sobre características pessoais, como caráter de liderança ou pró-atividade, por exemplo, são pontos interessantes.

Estudar em uma universidade internacional é uma oportunidade de expandir a noção de mundo, ampliar sua rede de contatos e vivenciar diferentes culturas e contextos sociais. O profissional multidisciplinar torna-se atraente ao mercado e aumenta seu valor frente às empresas.

Preparando-se para cursar uma universidade estrangeira, o aluno se coloca pronto para os desafios do desempenho acadêmico fora do país e ganha em âmbito pessoal e profissional. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here