Licença-maternidade acabou! Como organizar a rotina do bebê?

0
66

Voltar ao trabalho depois da maternidade: esse é um dilema para muitas mulheres. O bebê nasce e, quando as coisas começam a se ajeitar – a rotina, os horários, a adaptação do bebê etc. –, o trabalho reaparece trazendo a mamãe de volta à sua vida profissional.

Nesse momento, surge uma importante questão: como readaptar o bebê a essa nova realidade? Assim como para outras situações de mudança, é fundamental estabelecer uma rotina.

Por isso, listamos aqui uma sequência de dicas que vão te ajudar nesse processo. Mas atenção: siga essas orientações antes mesmo de retornar ao trabalho. Confira!

1. O bebê nasceu: curta, aproveite, viva o momento;

2. Considerando que você voltará ao trabalho em quatro ou seis meses, comece a ajustar as atividades conforme a nova realidade que os espera. Que tal, pelo menos um mês antes do retorno, praticar situações que farão parte da futura rotina? Afinal, toda rotina precisa de um tempo para engrenar;

3. Comece pelo horário. Se irá sair para trabalhar pela manhã, reprograme seu corpo e o de seu bebê aos poucos. Levante mais cedo, amamente mais cedo e procure se ausentar em parte de alguns dias da semana para que seu filho passe a atender que você vai mas volta;

4. Pense com quem o bebê irá ficar: parente, parceiro, creche…

5. Planeje a alimentação no período em que estiver fora. Precisa esgotar o leite? Se o bebê já está comendo, que tal caprichar nas papinhas e congelá-las?

6. Os primeiros dias talvez sejam doídos, para o bebê e também para você. Transmita segurança a ele.

7. Muitas mães sentem culpa nesse momento. Se é o seu caso, pense que o bebê chegou a um mundo que já estava em movimento – por isso, ele é quem precisa se adaptar ao cenário que encontrou. Crie vínculos: pelo tato, pela voz, pelo brincar, pela leitura. Assim, vocês permanecerão conectados.

8. A tecnologia pode ser uma grande aliada. Reserve um minutinho do dia no trabalho para fazer uma ligação de vídeo. Ver que o bebê está bem vai te trazer mais segurança, enquanto que o bebê será confortado por ouvir um pouquinho a voz da mamãe.

Confira no vídeo abaixo outras dicas que Maísa P. Pannuti, doutora em Educação, assessora de Psicologia do CIPP – Centro de Inovação Pedagógica, Pesquisa e Desenvolvimento e supervisora do Serviço de Psicologia Escolar – SerPsi – do Colégio Positivo preparou:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here